Real Gabinete Português de Leitura Rio de Janeiro  Brasil

🛑 🛑 🛑 A decisão está em suas mãos !!
Acesse https://linktr.ee/pokeydigital ou Fale com a gente, clique no link http://bit.ly/falecomagentefcbook

O Real Gabinete Português de Leitura OC • MHC • MHSE • ComB, tradicional biblioteca e instituição cultural lusófona, localiza-se na rua Luís de Camões, número 30, no centro da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Encontra-se tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural.
A instituição foi fundada em 1837 por um grupo de quarenta e três imigrantes portugueses, refugiados políticos, para promover a cultura entre a comunidade portuguesa na então capital do Império. Foi a primeira associação desta comunidade na cidade.[1]

O edifício da atual sede, projetado pelo arquiteto português Rafael da Silva e Castro, foi erguido entre 1880 e 1887 em estilo neomanuelino. Este estilo arquitetônico evoca o exuberante estilo gótico-renascentista vigente à época dos Descobrimentos portugueses, denominado como manuelino em Portugal por haver coincidido com o reinado de D. Manuel I (1495-1521).[2]

O Imperador D. Pedro II (1831-1889) lançou a pedra fundamental do edifício em 10 de junho de 1880, e sua filha, a Princesa Isabel, junto com seu marido, o Conde d’Eu, inauguraram-no em 10 de setembro de 1887.[carece de fontes]

A fachada, inspirada no Mosteiro dos Jerónimos de Lisboa, foi trabalhada por Germano José Salle em pedra de lioz em Lisboa e trazida de navio para o Rio. As quatro estátuas que a adornam retratam, respectivamente, Pedro Álvares Cabral, Luís de Camões, Infante D. Henrique e Vasco da Gama. Os medalhões da fachada retratam, respectivamente, os escritores Fernão Lopes, Gil Vicente, Alexandre Herculano e Almeida Garrett
O prédio histórico foi utilizado como locação para filmes, telenovelas e especiais de televisão, tais como:[carece de fontes]

O Primo Basílio (1988), de Daniel Filho
Os Maias (2001), de Luiz Fernando Carvalho
O Xangô de Baker Street (2001), de Miguel Faria Jr.
Mad Maria (2005), de Ricardo Waddington
Vinicius (2005), de Miguel Faria Jr.
https://youtu.be/tRq4quDWSxs